Loading...

9 de jan de 2012

OS COMPOSITORES - HAJA HISTÓRIA!


PIOTR I. TCHAIKOVSKY




Piotr Ilitch Tchaikovsky (em russoLoudspeaker.svg? Пётр Ильи́ч Чайко́вский, por vezes, transliterado Pyotr Ilyich Tchaikowsky); (Kamsko-Wotkinski Sawod, actual Tchaikovsky,7 de maio de 1840 – São Petersburgo6 de novembro de 1893) foi um compositorromântico russo.
Embora não Faça parte do chamado Grupo dos Cinco (MussorgskyCésar CuiRimsky-KorsakovBalakirev e Borodin) de compositores nacionalistas daquele país, sua música se tornou conhecida e admirada por seu carácter distintamente russo, bem como por suas ricas harmonias e vivas melodias. Suas obras, no entanto, foram muito mais ocidentalizadas do que aquelas de seus compatriotas, uma vez que ele utilizava elementos internacionais ao lado de melodias populares nacionalistas russas. Tchaikovsky, assim como Mozart, é um dos poucos compositores aclamados que se sentia igualmente confortável escrevendo óperas, sinfonias, concertos e obras para piano.





PIOTR I. TCHAIKOVSKY

Russo sofre preconceito e desilusão

Colaboração para a Folha Online

"Nunca estou longe do piano, me alegra quando estou triste", disse Piotr Il'yitch Tchaikovsky, o compositor russo mais conhecido do planeta. Homossexual, sofreu com o preconceito de contemporâneos e com inúmeras desilusões amorosas. A difícil experiência de vida foi a grande responsável por sua música, altamente emotiva, dramática e carregada de sentimentos.





veja mais: http://musicaclassica.folha.com.br/cds/04/biografia.html












TELEMANN -  Georg Philipp - Alemanha
Magdeburgo- -14 de março de 1681
Hamburgo-  25 de junho de 1767


Compositor e músico Alemão, aos 10 anos de idade já escrevia diversas obras e tocava vários instrumentos.
Aos 21 anos, se tornou diretor musical do ópera de Leipzig e aos 23, organista de uma igrejas.
Dedicou-se para a difusão de sua música durante a vida, com obras de caráter didático tendo como temas a ornamentação e o baixo cifrado, entre outros.
De gênero barroco, destacam-se a música vocal sacra, aproximadamente 1700 cantatas, a música vocal secular figurando entre elas nove óperas, a Música Orquestral, a Música de Câmara e a Música para teclado, tem como suas obras mais famosas 72 cantatas e os três grupos de Musique de Table que incluem um concerto, uma suíte e várias peças de câmara.
Compositor mais famoso da Alemanha compondo em todas as formas e estilos existentes em sua época, tendo sua música um caráter inconfundível, clara e fluindo levemente, utilizando estilo mais avançado do que Bach e Haendel e considerado um precursor do estilo musical clássico.

O compositor alemão, Georg Philipp Telemann, pertencia a uma família que tinha sido desde há muito ligada à Igreja Luterana. Seu pai era um pastor, sua mãe, a filha de um clérigo, e seu irmão mais velho também recebia ordens, um caminho que ele também teria seguido se não tivesse sido por sua excepcional capacidade musical. Como uma criança ele mostrou talento musical considerável, dominar o violino, flauta, cítara e teclado por dez anos de idade e compor uma ópera (Sigismundus, em um texto de Postel) dois anos depois, para a consternação de sua família (principalmente do lado da mãe ), que não gostava de música. No entanto, tal resistência só serviu para reforçar a sua determinação para perseverar em seus estudos através da transcrição e modelagem de seus trabalhos sobre os compositores, tais como Agostino Steffani, Rosenmüller Johann, Arcangelo Corelli e Caldara Antonio. Após os estudos preparatórios no Ginásio Hildesheim, ele se matriculou em Direito (por insistência de sua mãe) na Universidade de Leipzig em 1701.


Foi quando ele era um estudante na Universidade de Leipzig que uma carreira na música tornou-se inevitável. No início, estava previsto que ele deveria estudar a linguagem e a ciência, mas ele já era um músico tão competente que, no prazo de um ano de sua chegada, ele fundou o Collegium Musicum de estudantes com o qual ele deu concertos públicos (e que JS Bach era tarde para dirigir) , escreveu obras para o teatro de ópera de Leipzig, e em 1703 tornou-se diretor musical da Ópera de Leipzig e foi nomeado organista da Neue Kirche em 1704.
Em 1705, aceitou a nomeação como Kapellmeister para a corte do conde Erdmann cosmopolita II do Promnitz em Sorau (agora Zary), onde a moda para os estilos francês e italiano, forneceu-lhe um novo desafio.
Mergulhou na composição de cantatas de igreja, pedaços ocasionais, música de câmara orquestral e instrumental. Seu casamento terminou tragicamente com a morte de sua esposa em 1711.
A mudança de cenário tornou-se necessário e assim ele foi para a cidade livre imperial de Frankfurt-am-Main para assumir funções como Director Municipal de Música e também como mestre de capela da Barfüßerkirche. Juntamente com suas atividades como diretor do "Frauenstein", uma sociedade musical, na mesma cidade, que apresentou shows semanais, novos postos de Telemann adaptado seu talento muito bem. Compôs música ocasional para cerimônias cívicas, cinco ciclos de um ano de duração das cantatas de igreja, oratórios, música orquestral e uma grande variedade de música de câmara, muito do que foi publicado, apenas a oportunidade de produzir a ópera estava faltando, embora ele continuasse a fornecer para obras a Ópera de Leipzig. Durante este período, ele também foi nomeado Kapellmeister do príncipe de Bayreuth. Ele casou-se novamente (ganhar a cidadania através do casamento) e se tornou um homem de família.

Uma viagem a Dresden, em 1719, para as festividades em honra dos recém-casados Príncipe Eleitor Frederico Augusto II e Maria Josephia arquiduquesa da Áustria tornou possível um reencontro com GF Handel, a oportunidade de ouvir óperas de Antonio Lotti e da dedicação de um conjunto de concertos para violino ao Konzertmeister e virtuoso violinista Johann Georg Pisendel.

Então, em 1721, o cobiçado posto de Kantor da Johanneum Hamburgo, um posto que, tradicionalmente, realizados com responsabilidade e que o ensino a direção dos cinco principais igrejas de Hamburgo, tornou-se vago, Telemann e foi convidado para suceder Joachim Gerstenbüttel. Aqui, no passado, era um lugar de prestígio que lhe proporcionaria possibilidades aparentemente ilimitadas para compor e executar. Como Kantor, ele seria esticado, como nunca antes: ele foi obrigado a compor duas cantatas por semana, anualmente, para produzir uma nova paixão, e para fornecer trabalhos ocasionais para a Igreja e cerimônias civil. E tal era a sua vitalidade e ímpeto criativo que, apesar das pesadas responsabilidades, ele aparentemente avidamente procurados e cumpriu comissões adicionais a partir de casa e no exterior.

G.P. Telemann amizade com G.F. Handel continuou: Händel se correspondia com ele em várias ocasiões.
Como compositor G.P. Telemann foi realmente produtivo, proporcionando um enorme corpo de trabalho, tanto sacra e secular.

A forma musical que G.P. Telemann praticado com assiduidade notável foi a suite orquestral - as Ouverture e sua sucessão de movimentos de dança, que se originou com Lully na França, mas que na verdade era cultivada quase que exclusivamente por compositores alemães. Um crítico contemporâneo alemão, Johann Adolph Scheibe, mesmo declarou em 1745 que Telemann foi o principal responsável pela enorme popularidade da suite orquestral na Alemanha, tendo começado por imitar o estilo francês, mas em breve tornar-se mais perito no estilo do que os franceses . Em um artigo autobiográfico escrito em 1740 estima-se que ele já havia composto seiscentos suites - cerca de um quarto dos quais sobreviveram, quase todas em manuscrito.
Principais factores de G.P. Telemann ascensão meteórica ao poder e riqueza como o músico mais famoso na Alemanha foi o seu senso de humor e de personalidade afável. Ele teve a sorte de ser admirado e invejado, ao invés de ressentimento, por sua incansável busca e aquisição de Tribunal grandes e posições da Igreja.




Fonte: Busca Google -Wikipédia - Bach-cantatas ((Baroque Music Club Website; Malcolm Boyd, editor: Oxford Companion compositor JS Bach (Oxford University Press, 1999, autor do artigo: Jeanne Swack).-contribuído por Oron Aryeh (Dezembro de 2005, novembro de 2008))
imagens:busca Google.







GABRIELI, Giovanni   - (Veneza  1553 - id. 1612)

Sobrinho e sucessor do compositor e organista da Basílica de São Marcos, Andrea Gabrielli (1510-1586), (onde também era cantor quando jovem e organista em uma pequena catedral),quando Giovanni era ainda criança.
O italiano Giovanni Gabrieli compôs as Sacrae Symphoniae (1597) e as Canzoni, nas quais permaneceu fiel ao estilo criado por seu tio: o estilo policoral (efeito de vozes vindas de uma direção e respondidas por vozes vindas de outra direção).

Na Basílica de São Marcos, em Veneza, havia dois grandes órgãos e duas galerias para o coro, dando ideia aos compositores de escrever peças para os dois.Assim, uma voz vinda do coro da direita seria respondida pelo coro da esquerda ou por ele próprio e vice-versa.Efeito descoberto pelo belga Adrian Willaert.

Em 1562, Andrea foi trabalhar em Munique, na corte do Duque de Bavária e, retornando a Veneza, tornou-se o mais popular compositor de seu tempo, sendo nomeado organista de São Marcos. Neste tempo era tutor do jovem Giovanni.
Seguindo os passos do tio, na Corte de Bavária, Giovanni trabalhou sob a orientação do compositor Orlando di Lasso.
Voltando a Veneza, participou de um concurso em  São Marcos (1584), para preenchimento da vaga de Claudio Merulo que se demitira do posto de organista na Basílica.
Venceu o concurso e passou a trabalhar juntamente com seu tio, que veio a falecer em 1585, e Giovanni ocupou seu posto até sua morte em 1612. 


Giovanni Gabrielli foi um dos primeiros compositores a usar grupos instrumentais que favorecem os diálogos em eco e que constituem a base do estilo concertante.
Os compositores venezianos gostavam muito de empregar grupos de instrumentos, cada qual ligado a seu próprio coro.Gabrielli utiliza efeitos antifônicos que podem ser descritos como efeitos estereofônicos em algumas de suas peças..

Em 1593, em colaboração com seu tio, publicou algumas Intonazione d´Organo, compreendendo pequenos prelúdios de caráter semi-improvisado, para o serviço religioso mas, com o aparecimento de 14 Canzones duas Sonate e das Sacrae Symphoniae, em 1597, deixou um marco na história da música italiana. Além de sua qualidade intríseca estas obras trazem inovações no método de impressão de música, com indicações precisas de dinâmica e de instrumentação.
Além de organista e compositor das músicas para as grandes cerimonias, também ensinava música sendo um dos mais famosos professores em seu tempo. Teve como um de seus alunos, Heinrich Schutz.


Em termos de inovações formais, tomou o antigo modelo da chanson polifônica francesa mas o organizou em torno de um motivo recorrente que, à maneira de refrão, é intercalado entre passagens variadas, tornando a versão italiana da chanson uma forma autônoma e com espírito renovado.
Sua música fica logo esquecida após sua morte. Alguns amigos publicam seus trabalhos mas as novas ideias musicais do Barroco logo tomam lugar do "velho estilo da Renascença".


Sua música pertence ao período de transição entre o renascimento e o barroco. Mostra alguns traços do período anterior, valendo-se do estilo de escrita para vários coros simultâneos, que já era uma tradição na Basílica, mas com inédita riqueza de timbres e cores sonoras e efeitos antifonais estereofônicos que constituiu o ápice do gênero em Veneza. Foi também um dos primeiros venezianos a utilizar o recurso do baixo contínuo, que daria uma feição característica a todo o barroco posterior.


Fonte: Pesquisa Busca-Google/Enciclopédia Barsa - Encyclopaedia Britannica do Brasil Publicações Ltda./
Grande Enciclopédia Larousse Cultural/Uma Breve História da Música - Roy Bennett/
Giovanni Gabrieli: His life and music./http://home.dmv.com/~rons/Ron's_Pages/Gabrieli.htm
Foto:Busca Google-imagens
 
  TEMA IV os Compositores.
  Giovanni Gabrieli - Um Pouco Mais

  O VIOLINO
  A partir do século XVI, os predecessores do violino, preferidos nas tabernas e reuniões profanas,sofreram muitas alterações pois eram toscos e estridentes.
Há até os que nem os consideram como “violinos”,instrumentos que dizem, “nobres”, já teriam nascido “prontos e acabados”. Mais tarde, no século XVI, Gasparo da Salò,  Brécia e Andrea Amati, em Cremona, desenvolveram as técnicas de fabricação dos violinos, tal como são hoje, com madeiras escolhidas, dimensões e formatos mais anatômicos e harmonicos, cola, vernizes quase perfeitos
Imagens: pesquisa busca google 
 e a literatura escrita especialmente para eles abundante, como os Concerti a 6-16 voci (de 1587) de Giovanni Gabrieli, que era organista da Igreja de S.Marco em Veneza e um dos pedagogos mais célebres de seu tempo, cujo prestígio derramou-se pela Europa inteira por conta da legião de alunos provenientes de todas as regiões.

leia mais sobre a historia do violino:   http://violino-e-afins.blogspot.com/






Johann Christian Bach

(1735-1782)

Johann Christian Bach nasceu em Leipzig (Alemanha) em 5 de setembro de 1735..

Foi o último dos onze filhos de Johann Sebastian Bach com Anna Magdalena Wülken. Começou a estudar música com o pai e, provavelmente, com o pimo do mesmo, Johann Elias Bach.

Christian serviu como copista de J.S.Bach e após a morte do pai, em 1750, se tornou aluno de seu meio-irmão, Carl Philipp na cidade de Berlim.

Em 1754, foi à Itália estudar contraponto com o padre Giovanni Battista Martini e de 1760 a 1762, trabalhou como organista na catedral de Milão, escrevendo duas Missas, um Réquiem, um Te Deum, entre outras obras.

Na Itália, converteu-se ao catolicismo e, até 1760, compôs quase exclusivamente música religiosa sob a orientação do padre Martini.

Foi o único dos filhos de J. S. Bach a escrever óperas em italiano, começando com árias inseridas em óperas de outros autores, prática conhecida como pasticci.

Contratado pelo Teastro Reggio em Turim, compôs uma ópera séria, Artaserse com enorme sucesso na apresentação. Recebendo ofertas de Veneza e Londres, resolve pela última, onde passou o rsto de sua vida, tendo a catedral de Milão mantido seu cargo em aberto na esperança de que ele voltasse para reassumi-lo.
Durante vinte anos, ele foi o músico mais popular da Inglaterra; obras dramáticas, levadas ao palcoi no King´s Theatre foram muito bem recebidas pelo público.

Johann Christian foi designado Mestre de Música da rainha e seus deveres incluíam ministrar aulas de música a ela e seus filhos e acompanhar o Rei Jorge III ao piano, enquanto o rei tocava flauta.

Em Londres, em 1764, J. C. Bach fez amizade com o jovem Wolfgang Amadeus Mozart, que estava visitando a cidade como parte do roteiro de infindáveis apresentações arranjadas por seu pai, Leopold Mozart, realizadas com o objetivo de exibir a criança prodígio. Muitos especialistas consideram que J. C. Bach foi uma das mais importantes influências sobre Mozart, que com ele aprendeu a utilizar em sua música uma brilhante e atraente textura. Esta influência pode ser percebida na abertura da sonata para piano em si bemol, KV 315c de 1783–1784, que está muito próxima de duas sonatas de J. C. Bach que Mozart conhecia e indiretamente, de uma tentativa anterior numa sonata de J. C. Bach (sonata para piano em Dó menor, Op. 5 nº 6) para combinar o estilo galante de seus dias com música fugal.





Póstumas

Embora a fama de J. C. Bach tivesse declinado nas décadas após sua morte, sua música ainda era apresentada nos concertos de Londres com alguma regularidade, freqüentemente junto com as obras de Haydn .

E o primeiro biógrafo de J. S. Bach, Johann Nikolaus Forkel, escreveu especificamente sobre Christian que: O espírito original de Bach … não pode ser encontrado em nenhuma de suas obras (New Bach Reader, página 458). Apenas no século XX foi que os eruditos e o mundo musical começaram a entender que os filhos de Bach tinham o direito de compor num estilo diferente do de seu pai sem que, com isso, seus idiomas musicais fossem inferiores ou sem qualidade, e que compositores como Johann Christian passaram a ser vistos com um interesse renovado.

Johann Christian foi um dos primeiros compositores a dar preferência ao recém desenvolvido pianoforte em detrimento dos antigos instrumentos de teclas, como o cravo. As primeiras músicas criadas por Johann Christiam trazem a influência de seu irmão mais velho, Carl Philipp Emanuel Bach, enquanto que seu período intermediário, passado na Itália, foi influenciado por Giuseppe Sammartini.

estilos contrastantes

J. S. Bach e J. C. Bach



O pai de Johann Christian faleceu quando ele tinha apenas 15 anos e esta pode ser a razão por que é tão difícil encontrar traços de comparação óbvios entre Johann Sebastian e Johann Christian. As sonatas para piano de Carl Philipp, seu irmão, às vezes invocam certos elementos de seu pai e seu uso do contraponto se equipara ao de Johann Sebastian, o que é tão somente lógico se se considerar que J. S. Bach morreu quando Carl tinha 36 anos, tendo portanto exercido sobre ele uma influência maior do que sobre Johann Christian.

As sinfonias listadas na Relação de Obras de J. C. Bach, no New Grove Bach Family, chegam ser em número de noventa e uma obras

Johann Christian Bach faleceu pobre, no primeiro dia de 1782, e foi enterrado numa sepultura para indigentes, não identificada, na Igreja St Pancras Old com o sobrenome sendo grafado errado no registro do enterro como Back.

Mozart, numa carta a seu pai, disse que "foi uma perda para o mundo da música". Quando Mozart e J. C. Bach se encontraram pela primeira vez, Leopold relatou que os dois eram "inseparáveis". Ambos sentavam-se ao órgão, Mozart no colo de Johann Christian, ambos tocando durante várias horas.

A música de Johann Christian, entretanto se afasta completamente dos estilos dos dois Bach. Sua música é altamente melódica e estruturada de forma brilhante. Ele compôs segundo a estética galante, um estilo que incorpora frases balanceadas, com ênfase na melodia e no acompanhamento, sem muita ênfase na complexidade contrapontística. O movimento galante posicionou-se contra as intrincadas linhas da música do barroco, e em seu lugar focou a importância em melodias fluentes e em frases com períodos. Precedeu o estilo do classicismo, que fundiu a estética galante com o interesse renovado pelo contraponto

Mas a música de J. C. Bach tem sido cada vez mais reconhecida por sua alta qualidade e valor. Atualmente já existem diversas gravações de algumas de suas obras e uma gravação integral, composta de 22 CDs, para o selo CPO da obra orquestral de Johann Christian Bach além da publicação de suas obras

É claro que o ouvinte das sinfonias de J. C. Bach deve chegar a elas com uma perspectiva diferente da que provavelmente tem para com as sinfonias de Haydn ou Mozart. De uma maneira geral, as salas de concerto estão sempre repletas da música de Haydn e raramente, se é que alguma vez, se escuta J. C. Bach, o que talvez tenha menos que ver com a qualidade relativa, uma vez que a música do passado é completa em si mesma e digna de ser escutada, do que com as posições históricas relativas para com a sinfonia do classicismo.

Fontes: Wikipédia, a enciclopédia livre / J.C. Bach – minha coleção / www.classicos.hpg.ig.com.br) / Site de busca google